Patrocinado
Música no seu RPG

Música no seu RPG

Música no seu RPG

Por que usar músicas no seu RPG?

Ainda que uma mesa de RPG seja um local de risadas, brincadeiras e abordagem de temas da vida real e do convívio dos envolvidos, a imersão é um dos bens mais preciosos para um bom jogo. A imersão nada mais é do que sua concentração, percepção e sensibilidade para com o que ocorre ongame. Sentir e agir – quanto interpretação – como seu personagem. Uma boa narrativa, imagens, objetos alusivos trazidos para a sessão. Até decorações ou um local específico para o jogo maximizam a imersão. Por fim, percepções offgame geram a imersão, cooperando para o on. Junto de recursos visuais, tais como imagens, GIFs ou vídeos, os sons estão entre as mais eficientes ferramentas para o RPG. Logo, usar música no seu RPG pode ser um passo para um outro patamar. E quando digo música, me refiro a mais do que instrumentalização e um vocal.

Patrocinado

Os sons para o seu RPG

A seguir, abordarei os três tipos de sons imersivos para usarem em suas mesas, suas particularidades e dicas para seus usos. Sendo a música no seu RPG dividida em: canção, trilha sonora e sons ambiente.

Canção

O que mais se entende como “música” a grosso modo. Se trata do instrumental e do vocal. Além de basicamente ritmo, harmonia e melodia, possui letra, portanto, é cantada. Ainda que o mais comum – ou única forma de música – ouvida pela massa, a canção é uma das mais complexas para se usar no RPG.

Patrocinado

Isso ocorre por ter, quase sempre, uma duração adaptada ao mercado fonográfico, entre três a seis minutos. Então, uma canção, tem de ser usada durante um período exato da narrativa, quase sempre ensaiado, decorado, ou lido. Em todo caso, pode-se editar a material para uma versão extended, ou marcar um ponto rebobinando-a sempre ali, ou ainda colocá-la em loop, se não tornar a cena maçante. Cuidado para esse último recurso não mais atrapalhar do que ajudar na imersão. Canções não são aconselháveis para além de momentos exatos de acontecimentos, falas ou cinemáticas.

Trilha sonora

Embora o termo soundtrack seja também alusivo a trilha sonora, englobando canções, aqui trataremos do que em inglês se conhece como score, músicas instrumentais produzidas ou não para uma determinada obra. Esse tipo de música, além de maravilhosa, é extremamente útil para emular sentimentos e atmosferas, uma vez que é caracterizada como “música de fundo”.

Comumente encontradas em tamanhos consideráveis de duração, ou estendidas, ou em loops, servem perfeitamente para ambientar a situação, a atmosfera em determinado momento da mesa. E não restrinja o uso das STs (soundtracks, trilhas sonoras) a momentos de batalha, épicos, aterrorizantes ou grandiloquentes. Saiba utilizá-las na pequenez também. Em momentos de paz, medo, lembranças, introdução, preparação, exploração, epifanias, discursos, ameaças, romance, sexo – se sua mesa tiver abertura para tal – entre tantos outros. Não use uma trilha sonora de forma eterna, saiba a necessidade e feeling para quando e como usá-la. Ainda sim, ela dispõe de uma naturalidade bem maior em relação às canções quanto a tempo de duração. Até seu loop é mais aceito aos nossos ouvidos, nos tirando menos da imersão.

Som ambiente

 Não enquadrado como música, ainda que músicas possam estar nele, é o plano de fundo sonoro. Sabe todos os sons que se ouvem quando entra em uma cidade na fantasia medieval? Sons de cavalos, pessoas de armadura andando, passos pelas ruas, carroças, aves, dedilhar de algum alaúde e vozes indo e vindo. Sons ambiente são isso. Um apanhado que compõe uma determinada atmosfera. Muitos conhecidos são aqueles vídeos de dez horas com sons de lareira ou chuva, por exemplo. É isso!

Existem canais que se dedicam a ambientações sonoras incríveis. Seja de interiores, cidades, épocas, biomas e até de locais fantásticos famosos. Use este recurso sem dó, e sem limite de tempo se quiser. Pois, este é o som do que existe para os seus personagens. Em nível de imersão, pode ser sua maior ferramenta para músicas no seu RPG.

Sons ambientes também podem ser retratados como efeitos sonoros breves. Tais como o rugido de um monstro em particular, ou som de canhões, desabamentos, magias, explosões, tiros, motores… Estes, quando usados como um som específico, de forma pontual para elucidar os jogadores.

Flavor e contexto

Para a música no seu RPG rolar da melhor forma possível, saiba dosar a ansiedade em usá-las, a vontade de criar uma cena memorável, por mais que venha a ser. Preocupe-se antes de mais nada com a qualidade e a compreensão do momento por parte dos seus jogadores.

Além disso, principalmente quando envolvendo canções, use músicas com relevância e contexto para cenas, cinemáticas, narrativas e momentos. Músicas com letra requerem um casamento com o que está sendo discorrido ongame, devem fazer parte da narrativa, referenciando.

Você não deve colocar uma música épica em um momento cômico, ou uma música cômica em um momento épico. A não ser que esteja aludindo a alguma figura de linguagem como ironia. Ou queira aplicar contradição a cena ou algum personagem nela. Ou ainda, casos de desconstrução de expectativa ou cenas anticlimáticas, que gerem desconforto ou confusão proposital.

Imagine que durante um quebra-pau de pura carnificina e gore alguém esbarra em um rádio ongame e começa a tocar A little respect, do Erasure. É uma cena de desconstrução. Como quando toca Free Bird na cena do massacre na igreja do filme Kingsman: Serviço Secreto (2014). Ali a violência tenderá a ser caricata, ou doentia, correndo entre extremos. Certamente, seus jogadores, sempre que ouvirem esse hit, se lembrarão da sua narrativa.

Explore a música no seu RPG com seus colegas de mesa

Experiência própria. Você mestre, peça para seus jogadores indicarem músicas que eles queiram para seus personagens. Se contextual, faça aquele agrado. Bota pra tocar em determinada cena de relevância para o tal PC. Você jogador, indique a ferramenta da música no seu RPG, seja para os demais jogadores da sua mesa ou para o seu narrador. É um recurso e tanto! Vale a pena a propagação, discussão e aprofundamento no uso.

Conheci e conheço narradores que fazem momentos mais que marcantes em suas mesas com o uso certo da ST certa na cena certa. Só posso descrever isso como arte. Quem sabe como mágica também.

Dicas

Jogando presencialmente, com o uso de um computador, ou pelo menos dois celulares, é possível intercalar sons ambientes com trilhas sonoras. Regule o volume dos vídeos para que não se anulem e não virem apenas barulho. Quase sempre é melhor manter a trilha sonora mais audível que os sons ambientes, ou mesmo canções em raros casos, quando dividem uma cena na mesa.

Mestre, mantenha o volume do que quer esteja somando a ambientação mais baixo do que a sua voz narrativa e as vozes de interpretação de seus jogadores. Lembre-se que isso é uma roupagem para o RPG, um recurso. O principal continua sendo vocês, a interação, o roleplay.

Sempre que possível, não dependa de internet para usar músicas no seu RPG. Baixe as faixas de antemão ou tenha ao alcance a mídia física necessária para tocá-las. E quando jogando online, através de chats, bots podem ser uma boa pedida para fazer as músicas rodarem.

Para mais dicas sobre RPG de mesa por vias online, só dar uma conferida aqui, RPGistas!

Calma! Mais dicas

Preze SEMPRE pelo contexto para usar músicas. Caso determinada cena a qual uma música estava programada, finamente arquitetada por você, não ocorra, respire fundo – em alguns casos, engula o ego – e não force nada para demonstrar sua finesse ou seu bom gosto de música para narrativa. Guarde a música, recicle. Mantenha-a em segredo e adapte-a para o futuro quando cabível.

Sei que já foi dito, mas cuidado com os loops de canções! Não deixe a narrativa maçante. Se quiser manter o clima que determinada canção criou em um momento, toque a seguir uma versão instrumental da mesma música, ou procure uma trilha sonora cujos ares emulem o sentimento requerido. O RPG segue mais orgânico e mais assegurado assim. Loops de canções podem tirar a imersão ao invés de aumentá-la.

Temáticas no seu RPG

Eu costumo usar, e recomendo, canções ou trilhas sonoras, como temas de mesa. Temas da campanha, crônica, história em si. No início e no fim de cada sessão ela toca, climatizando a mesa. No começo das sessões principalmente, pois as uso como fundo para uma breve retrospectiva de fatos relevantes da ou das sessões anteriores. Nesse caso em específico, o loop pode comer solto, mesmo com canções. Procure uma música que elucide bem seu intuito de campanha e cenário. Exemplos…

EX¹.: Em uma mesa de apocalipse zumbi que narro, onde trabalho bastante a sobrevivência logo após a queda da civilização e a mudança de perspectiva do antigo mundo. Uso a canção Civillian (em sua versão instrumental), da banda Wye Oak como música tema da campanha.

EX².: Em uma mesa de fantasia, a qual também narro, os personagens são de uma força tarefa por trás de um evento histórico, a maior guerra que já ocorrera naquele cenário. Uso a ST Across the desert, composta por James Newton Howar e feita para o filme Dinosaur, como a temática da campanha. É uma mesa dura, insalubre, cheia de temas sociais pesados, violenta. De uma irmandade que floresce pelo conflito e lealdade no campo de batalha e em missões isoladas, mediante o maior conflito armado que aquele mundo medievo fantástico já viu.

Deixe a música inspirar o RPG

O inverso também acontece. Nem só de caça às músicas vivem as ideias dos RPGistas. Músicas no seu RPG podem ser a matéria-prima e não o produto final. Muitas vezes, músicas já me inspiraram cenas, personagens, sessões e até campanhas. Esse é o caminho inverso, e com certeza, muito bem-vindo. Quando a música gera o RPG. Gera conteúdo, inspiração, ideias para, e não somente funciona como um recurso que soma a imersão do mesmo.

Ouça muitos gêneros de música, ouça muitas trilhas sonoras. Atente-se nos filmes! Que tipo de sentimento ou imersão – que também ocorre em filmes, séries, teatros – determinado fundo musical tende a criar? Questione-se. Amplie seu leque quanto ao consumo da música. Sinta-a. Seja crítico. No sentido de compreensão – além de qualitativo, caso não o queira – leia, estude, interprete e reflita sobre canções (letras). Mais uma vez, o RPG somará algo benéfico a vocês como pessoas. E no que consiste ao jogo apenas, ter um bom repertório mental de canções e trilhas sonoras de diferentes gêneros, ajuda, e muito, o recurso das músicas no seu RPG.

Boas playlists, cenas com sons e rolagens a todos, RPGistas!

Patrocinado