Patrocinado
Dungeons and Dragon

Dungeons and Dragon

Dungeons and Dragons: Dicas para acrescentar horror em suas aventuras

Sessões de rpg são normalmente divertidas e intensas, com uma longa duração pode se levar uma tarde inteira, porém, se você é um jogador experiente sabe que algumas vezes é bom mudar, não apenas jogar aquela fantasia de combates longos e vilões marcantes. Mas sim acrescentar algo diferente, assim tanto para você e seus companheiros irão aproveitar e dividir uma experiência nova. Entretanto, você não pode simplesmente jogar uma temática sem contexto, e também não precisa ser algo voltado apenas no terror. Irei dar dicas de como incrementar um climax assustador da maneira correta.

Patrocinado

Leia também: Conheça 5 coisas que podem estragar sua campanha de RPG

Vale ressaltar que as dicas aqui podem não se aplicar ao seu jeito de mestrar, cada pessoa tem seu modo e algo pode ajudar ou simplesmente não fazer diferença 

Não tenha apenas um climax

O grande erro de aventuras de horror é já começar com terror, grandes escritores com o Stephen King ou H. P. Lovecraft, na maioria de seus contos sempre começa como uma vida normal, algo tranquilo, porém, logo após é acrescentado o terror aos poucos, comece sua sessão normalmente e aos poucos vai acrescentando tais coisas, um relato de um npc ou simplesmente uma notícia na tv, acrescente detalhes pequenos mais bem significativos.

Patrocinado

Dungeons and Dragons

Não dependa do seu vilão

A maioria das sessões de terror que joguei os mestres sempre cometiam os mesmos erros, e o mais comum é focar apenas em seus vilões, transformar ele em algo muito difícil de derrotar, mas isso não causa medo, apenas se proporciona em um combate muito longo.  Você precisa aproveitar todo enredo, amarrar todas as pontas soltas no final, para que todos fiquem surpresos, algo que envolva mexer com as emoções humanas. Algumas pessoas dizem ter medo do escuro, mas não é pela escuridão e sim pelo que pode ter nela, o desconhecido trabalho com o medo.

Evite clichês

Normalmente os mestres gostam de surpreender, e aquele npc ruim era o herói e o rei ou donzela era a vilã, isso é muito clichê. Como eu disse, o desconhecido gera o medo, se ponha no lugar de seus jogadores e leia e pense: Isso realmente me surpreendeu? Se a resposta for não, pense em outra coisa.

Narrativa de cenário

Não adianta você querer algo que aflinja medo no coração de seus jogadores, sendo que eles estão no meio de um lugar repleto de pessoas e guardas. Escreva e narre os detalhes mais peculiares, o som da madeira, o silêncio intenso que uma mera gotícula de água se torna perceptível ou até mesmo uma respiração ofegante. Se souber trabalhar com a narração do cenário, vai conseguir chegar no seu resultado.

Caso não tenha tanta experiencia em mestrar, anote frases de ambiente e na melhor oportunidade utilize. Por mais que os jogadores possam seguir um rumo totalmente do seu planejado, uma descrição de floresta ou um estabelecimento velho sempre vai ter.

Conheça seus jogadores

Saiba o tendão de aquiles de seus jogadores, medo da escuridão, medo de lugares apertados ou o simples medo da vida. Aproveite isso e acrescente em sua aventura. Quanto mais conhecimento que conter de seus jogadores, mais próspero para o sucesso.

Não force o quê não existe

Se por acaso em uma determinada etapa imaginou que seus jogadores teriam medo e você perceba que eles estão tranquilos, tente não forçar sua estratégia, saiba improvisar e mude sua tática. Momentos de tensão podem ajudar, nunca deixe os jogadores tão confiantes, mostre que existem coisas mais poderosas e desconhecidas.

Patrocinado