Patrocinado
Dez momentos icônicos da tropa dos Lanternas Verdes

Dez momentos icônicos da saga dos Lanternas Verdes

É decerto que a maravilha da ficção de super-heróis contagia a todos os fãs, mas a mitologia Lanterna Verde da DC é tudo o que poderia desejar uma saga em percurso, e esta semana comemora o seu 80º aniversário. A narrativa da Tropa dos Lanternas Verdes conteve muitas reviravoltas e mudanças definidoras — e totalmente marcantes ao longo das eras, e hoje relembraremos dez momentos icônicos dessa grande saga.

Patrocinado

All-American Comics

1. Alan Scott acende a lanterna pela primeira vez

Começando com os dez momentos icônicos, antes dos Guardiões e antes da Tropa, a saga iniciou nos anos 40 da All-American Comics #16. Alan Scott era um engenheiro, e a vida mudou para sempre após um sabotador executar um acidente no trem. Contudo, graças a uma força intrigante intitulada como Chama Verde da Vida, que foi contida no interior de uma lanterna de trem verde que havia entrado na locomotiva de Alan, este sobreviveu ao incidente e recebeu novas habilidades. Partindo uma parcela da bizarra lanterna verde, Alan visualiza o primeiro anel da Lanterna Verde e vai atrás do sabotador. No desfecho da narrativa, a lenda do Lanterna Verde havia começado oficialmente.

Alguns desdobramentos narrativos surgiram posteriormente a essa história sobre o nascedouro da Chama Verde da Vida, dando a entender que era uma fonte de energia nomeada por Coração das Estrelas que havia sido desenvolvida pelos Guardiões do Universo.

Patrocinado

A origem da Chama Verde

2. No dia mais brilhante, na noite mais negra

Tendencioso ou não, mas o juramento dos Lanternas Verdes é uma das maiores coisas a sair dos quadrinhos. Tente dizê-lo em voz alta e você sentirá que pode enfrentar uma tropa de Caçadores.

“No dia mais brilhante, na noite mais negra, nenhum mal escapará da minha vista. Que aqueles que adoram o poder do mal, tomem cuidado com o meu poder, a luz do Lanterna Verde.”

Arrepio instantâneo, não é mesmo? Alguns modelos diferentes do juramento apareceram nas primeiras narrativas de Alan Scott, até a versão que todos conhecemos estreou em Lanterna Verde #9 de 1943. A cena em geral é perfeita. Alan ficou na escuridão iluminando apenas lampejos verdes de sua lanterna, ao tempo que recitava as grandes palavras icônicas pela primeira vez.

No dia mais claro, na noite mais densa

3. O recrutamento de Hal Jordan

No ano de 1959, simultaneamente, Alan Scott não teve aparição em uma história em quadrinhos há oito anos, e parecia que a luz do Lanterna Verde havia desaparecido até que John Broome e Gil Kane reacenderam a chama no Showcase #22. A narrativa revelava um piloto de testes chamado Hal Jordan, que encontra ocasionalmente um alienígena moribundo chamado Abin Sur. O extraterrestre ferido, apresenta que ele é um Lanterna Verde, e que ele deveria encontrar um sucessor antes do óbito. Jordan é selecionado por consequência de sua força de vontade, e que ele precisará para engenhar com sucesso o poderoso anel do Lanterna Verde.

Essa origem não apenas introduziu Jordan e reviveu o conceito do herói, mas também reinventou completamente a mitologia. O começo de Abin Sur foi o primeiro passo para a construção do termo Tropa dos Lanternas Verdes como uma força policial intergaláctica. Além do mais, Hal também é o mais icônico dentre os Lanternas, e seu início levou a saga em uma direção surpreendente.

O recrutamento de Jordan

4. Os Guardiões e a Tropa

Enfim, o grande resultado das aventuras de Hal Jordan no Showcase o levou a ter sua própria série em 1960, e iniciou com enorme estrondo. Nas páginas de abertura do Lanterna Verde #1, Jordan é conduzido para o planeta Oa pela primeira vez, onde os leitores são revelados aos Guardiões do Universo.

Então, os Guardiões desejam avaliar o substituto de Abin Sur e assegurar que ele seja digno. É previsível que Jordan prova para os Guardiões, mas não seria a última vez que ele se veria em conflito com eles. Ao longo das datas, Jordan e os Guardiões colidiram com suas ideologias distintas, pois o piloto de testes desafiava suas filosofias e dogmas. Lanterna Verde #1 é mais que a primeira edição do título do herói, é uma peça importantíssima para a história dos Lanternas que estabeleceu princípios e relacionamentos decisivos para a Tropa dos Lanternas Verdes.

Justice League America DC Comics

5. Allan Scott conhece Hal Jordan

Dos dez momentos icônicos, esse não poderia faltar. A luz do Lanterna Verde nunca se apaga, por isso era natural que a elevação da popularidade de Jordan levasse ao retorno de Alan Scott. Depois de uma grande ausência de doze anos, Alan finalmente aparece (junto com seus colegas da equipe da Sociedade da Justiça), no Flash #137, mas o que os fãs realmente desejavam enxergar era uma parceria entre o Lanterna da Era Dourada e seu sucessor da Idade da Prata.

Os leitores possuem seu desejo na Liga da Justiça da América #21 – 22 quando a Liga da Justiça da Terra-1 se depararam com seus colegas da Sociedade da Justiça da Terra-2. Nesta história de transição de jogo, Alan Scott se une a Hal Jordan pela primeira vez, e os Lanternas até unem as forças de seus anéis para liberar seus companheiros de equipe capturados. A amizade entre os dois Lanternas Verdes só evoluiu a partir desse ponto, com Hal e Alan se unindo muitas vezes ao longo das eras.

Green Lantern Alan & Hal

6. Guy não é um cara tão ruim

Enfim, grande parte provavelmente é mais como Guy Gardner do que gostaríamos de pensar. Se você não conheceu Guy, ele é um dos Lanternas Verdes que não gosta muito de regras. Um ser impetuoso e presunçoso, porém, com toda a justiça para ele, parte disso é merecida.

Guy arriscou sua vida para salvar a galáxia mais vezes do que poderíamos notar. Guy foi inserido para esse universo pela primeira vez no Lanterna Verde #59, quando é apresentado a Hal Jordan o que teria ocorrido se o anel de Abin Sur tivesse selecionado outra pessoa.

E por ventura, Guy é um personagem mais nobre neste enredo, com a maioria de suas qualidades mais arrogantes aparecendo em quadrinhos futuros. Uns amam, outros odeiam, é seguro dizer que, sem o começo desse personagem para o percurso, a saga dos Lanternas Verdes estaria perdendo um de seus grandes ingredientes essenciais.

Guy e Hal

7. A introdução de John Stewart

Em 1971, os leitores de hqs conheceram John Stewart, o primeiro super-herói afro-americano da DC Comics. No Lanterna Verde #87, os Guardiões solicitaram a Hal para treinar com John, caso alguma circunstância aparecesse onde um Lanterna de alívio fosse necessário. Stewart era um arquiteto em dificuldades e, durante suas primeiras aparições, tinha um chip em seu ombro.

Então, Jordan se ressentiu da escolha no início, achando os caminhos de Stewart pouco ortodoxos, entretanto, depois que o pensamento rápido de John ajudou a desmascarar um político envolvido em corrupção, Hal notou que os Guardiões haviam escolhidos de maneira sábia. A popularidade de John foi crescendo aos poucos, com alguns fãs o prestigiando como seu Lanterna favorito.

John Stewart em Green Lantern

8. Hal sai, John entra

Na antepenúltima colocação dos dez momentos icônicos, é a transição marcante de alguns personagens favoritos. Eventualmente em 1984, Hal Jordan espantou os Guardiões e seus companheiros Lanternas, quando ele decidiu entregar seu anel e se aposentar. Hal queria iniciar uma nova vida com Carol Ferris, e ele não deixaria suas responsabilidades como Lanternas se imporem em seu destino. Isso levou à narrativa da DC sendo feita no Lanterna Verde #182, quando John Stewart ressaltou do alívio Lanterna para o herói em tempo integral.

A transição dos Lanternas

9. A tropa vem à tona

Na penúltima colocação dos dez momentos icônicos, depois de o Lanterna Verde #200, tudo mudou para a Tropa, e uma das maiores eras dos quadrinhos do Lanterna Verde começou finalmente. Logo assim, os guardiões decidiram deixar Oa, e Hal voltou como Lanterna Verde. O que essas duas coisas significaram para o Tropa? A decisão foi tomada de que as Culturas dos Lanternas Verde se governariam, e isso simbolizava todas as mãos no convés. John Stewart permaneceu como um Lanterna, ao lado de Hal, Guy e um elenco colorido de alienígenas. A série Lanterna Verde foi renomeada para Tropa dos Lanternas Verdes com a edição #201, resultando em um renascimento bastante criativo do título.

Lanternas alienígenas como Ch’p, Katma e Kilowog ocuparam o centro do palco, direcionando os quadrinhos para mais um livro de conjunto. Consequentemente, os Guardiões voltaram e os Lanternas voltaram para uma metodologia mais cultural, entretanto, essa era realmente uma era inesquecível.

A mudança dos títulos

10. A decadência de Hal e a Ascensão de Kyle

Em último lugar dos dez momentos icônicos, em 1993, a cidade natal de Hal Jordan, Coast City, foi dezimada por Mongul e o Superciborgue. Em sua dor, Hal tentou utilizar seu anel para reconstruir a cidade, mas os Guardiões o proibiram. Dizer que Hal não respondeu bem a isso é como dizer que os Lanternas Vermelhos têm uma pequena crônica de controle da raiva.

Hal investiu contra os Guardiões e seus companheiros Lanternas, aparentemente destruindo todos eles. No Lanterna Verde #50, um dos Guardiões moribundos aproveitou da sua última gota de energia para dar o anel final dos Lanternas Verdes a um jovem artista chamado Kyle Rayner. A tropa se fora, Hal havia decaído da graça e agora Kyle era forçado a continuar seu legado outrora brilhante sem nenhuma guiagem.

Green Lantern Rebirth

Patrocinado